Anúncios

Transporte Ferroviário no Brasil

Locomotiva Baronesa a numero 1 do Bras

Transporte Ferroviário no Brasil

O transporte rodoviário de cargas hoje é um componente importante para economia brasileira, o principal meio para o deslocamento desde uma simples encomenda, até safras inteiras da agricultura, devido a sua facilidade de chegar a qualquer ponto do território brasileiro, Substituindo o ferroviário.

Segundo Castiglione (2010), o transporte ferroviário de cargas era muito usado para escoar a produção, agrícolas, produtos para os portos e importados para o interior do território nacional, em fins do século XIX e inicio do século XX, uma vez que as maiorias das ferrovias existentes ligavam o litoral ao interior.

A construção da primeira ferrovia do Brasil foi concedida em 1852 a Irineu Evangelista de Souza (o Barão de Mauá). O trecho saia da Baía de Guanabara, na cidade do Rio de Janeiro, e seguia em direção à cidade de Petrópolis (RJ).Ela foi a primeira operação intermodal do Brasil, pois permitia a integração do transporte hidroviário e ferroviário.

Ferroviário

Transporte Ferroviario

Modal que apresenta a menor evolução em inovações entre os demais. É utilizado para a movimentação de grandes volumes, com baixo valor agregado, em terminais fixos, tanto de coleta quanto de entrega, apresentando baixa flexibilidade. Sua grande vantagem é o custo, inferior ao dos outros modais, mas a baixa flexibilidade, relacionada à malha ferroviária de baixa extensão e à sua exigência de pontos fixos de coleta e entrega, torna-o um modal de pouca utilização. No Brasil é o segundo modal em participação, mas está concentrado no escoamento da produção agrícola e mineral do interior para os portos.

Ferroviário

A inclusão da Rede Ferroviária Federal S.A. no Programa Nacional de Desestatização através do Decreto n.º 473/92, propiciou o início da transferência de suas malhas para a iniciativa privada, durante um período de 30 anos, prorrogáveis por mais 30. Esse processo também resultou na liquidação da RFFSA, a partir de 07/12/99.

 

Malhas Regionais
Data do Leilão
Concessionárias
Início da Operação
Extensão (Km)
Oeste
05.03.96
Ferrovia Novoeste S.A.
01.07.96
1.621
Centro-Leste
14.06.96
Ferrovia Centro-Atlântica S.A.
01.09.96
7.080
Sudeste
20.09.96
MRS Logística S.A.
01.12.96
1.674
Tereza Cristina
26.11.96
Ferrovia Tereza Cristina S.A.
01.02.97
164
Sul
13.12.96
ALL-América Latina Logística do Brasil S.A
01.03.97
6.586
Nordeste
18.07.97
Companhia Ferroviária do Nordeste
01.01.98
4.238
Paulista
10.11.98
Ferrovias Bandeirantes S.A.
01.01.99
4.236
Total
25.599

Em 28/06/97, o Governo Federal outorgou à Companhia Vale do Rio Doce – CVRD, no processo de sua privatização, a exploração por 30 anos, prorrogáveis por mais 30, das Estrada de Ferro Vitória a Minas e Estrada de Ferro Carajás, utilizadas basicamente no transporte de minério dessa companhia.

Além das malhas da RFFSA e das estradas de ferro da Companhia Vale do Rio Doce, a ANTT é responsável pelas

seguintes concessões:

  • Ferrovias Norte Brasil S.A. – FERRONORTE.
  • Estrada de Ferro Mineração Rio do Norte;
  • Estrada de Ferro Jarí;
  • Estrada de Ferro Trombeta;
  • Estrada de Ferro Votorantim;
  • Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A. – FERROESTE;

Características

O modal ferroviário caracteriza-se, especialmente, por sua capacidade de transportar grandes volumes, com elevada eficiência energética, principalmente em casos de deslocamentos a médias e grandes distâncias. Apresenta, ainda, maior segurança, em relação ao modal rodoviário, com menor índice de acidentes e menor incidência de furtos e roubos. São cargas típicas do modal ferroviário:

  • Produtos Siderúrgicos;
  • Grãos;
  • Minério de Ferro;
  • Cimento e Cal;
  • Adubos e Fertilizantes;
  • Derivados de Petróleo;
  • Calcário;
  • Carvão Mineral e Clinquer;
  • Contêineres.

O sistema ferroviário nacional é o maior da América Latina, em termos de carga transportada, atingindo 162,2 bilhões de tku (tonelada quilômetro útil), em 2001. Os dados operacionais e econômico-financeiros encontram-se disponíveis no SIADE – Sistema de Acompanhamento do Desempenho das Concessionárias de Serviços Públicos de Transporte Ferroviário.

Fonte:http://www.antt.gov.br

Anúncios

“Blog Logística na Veia”

Olá sou o Professor e palestrante Afonso Ivens, graduado em Logística Empresarial, MBA em Gestão Empresarial – Universidade do Grande Rio Docência do Ensino Superior FGV. Trabalhei no SENAI/SENAC RJ, ministrando, elaborando aulas de nos cursos de logística e Administração nos níveis técnico, cursos livres e aprendizagem. Mas ao longo da minha carreira profissional realizei, trabalhos na área de movimentação e transporte de cargas, manutenção preventivas e corretivas de maquinas pesadas e participado de grandes projetos nacionais como reforma do alto forno 3 (CSN, Volta redonda RJ 2001) reforma do alto forno 2 Cosipa Cubatão SP (2002), e entre tantos outros aqui não mencionados.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: