Anúncios

Estruturas Diretas de Distribuição

São sistemas de distribuição nos quais os produtos são expedidos de um ou mais armazéns centrais diretamente para os clientes, podendo também utilizar instalações intermediárias como suporte para permitir um rápido fluxo de produtos aliado a baixos custos de transporte. Essas são as instalações do tipo Transit Point, Cross-Docking, e Merge in Transit.
Estruturas Diretas de Distribuição
Nesse tipo de estrutura de distribuição, busca-se a redução de custos através da redução do custo de manuseio de cargas, redução de níveis de estoque e redução do custo de transporte associado à melhoria do nível de serviços a clientes.

Transit Point

Na estrutura Transit Point os produtos recebidos já têm os destinos definidos, ou seja, já estão pré-alocados aos clientes e podem ser imediatamente expedidos para entrega local. Não há espera pela colocação dos pedidos. Esta é uma diferença fundamental em relação às instalações de armazenagem tradicionais, onde os pedidos são atendidos a partir do seu estoque.

Cross-Docking

As instalações do tipo Cross-Docking operam sob o mesmo formato que os Transit Points, mas se caracterizam por envolver múltiplos fornecedores atendendo clientes comuns. Cadeias de varejo são candidatos naturais à utilização deste sistema e, de fato, existem inúmeros exemplos da utilização intensiva do Cross-Docking neste setor.

Merge in Transit

O Merge in Transit é uma extensão do conceito de Cross-Docking combinado aos sistemas Just in Time (JIT). Ele tem sido aplicado à distribuição de produtos de alto valor agregado, formado por multicomponentes que tem suas partes produzidas em diferentes plantas especializadas. Um exemplo claro são as estações de trabalho, formados por CPUs, monitores e teclados.

Vantagens   Das Estruturas Diretas de Distribuição

1.Redução de custos com estoques de toda cadeia logística, pois prevêem entregas menores e mais freqüentes.
2.Redução de custos com transportes, pois o transporte inicial é realizado em cargas completas de caminhões de maior capacidade (Full Truck Load), sendo diretamente distribuídas em veículos menores, para entrega final.
3.Redução de investimentos em área de estocagem, pois a necessidade de manutenção de estoques é praticamente eliminada.
4.Redução de rupturas nas lojas, pois o princípio é o de ressuprimento contínuo.
5.Redução de custos de recebimento nas lojas, pois reduz a quantidade de veículos recebidos diariamente (são consolidadas em um único veículo diversas entregas de diversos fornecedores).
6.Redução do risco de perdas por prazo de validade vencido (Shelf-life), pois entregas em menores quantidades facilitam a observância de “First In – First Out” – primeiro que entra, primeiro que sai.

Anúncios

“Blog Logística na Veia”

Olá sou o Professor e palestrante Afonso Ivens, graduado em Logística Empresarial, MBA em Gestão Empresarial – Universidade do Grande Rio Docência do Ensino Superior FGV. Trabalhei no SENAI/SENAC RJ, ministrando, elaborando aulas de nos cursos de logística e Administração nos níveis técnico, cursos livres e aprendizagem. Mas ao longo da minha carreira profissional realizei, trabalhos na área de movimentação e transporte de cargas, manutenção preventivas e corretivas de maquinas pesadas e participado de grandes projetos nacionais como reforma do alto forno 3 (CSN, Volta redonda RJ 2001) reforma do alto forno 2 Cosipa Cubatão SP (2002), e entre tantos outros aqui não mencionados.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: