A importância da logística para a economia

A logística sustenta a venda de mercadorias por todo mundo, exerce um papel fundamental no desenvolvimento econômico. Onde a situação econômica do país tem influência direta nos custos logísticos da empresa.

Com o processo de globalização e o atual cenário impulsionou a concorrência, que ampliou o poder de barganha dos clientes, principalmente na negociação dos custos oferecidos. Jaime (2008, p.195) comenta:

Que se o mundo de hoje é caracterizado por um desenvolvimento         tecnológico muito grande, na verdade os instrumentos mudaram, más       o condutor desses instrumentos, o homem, pouco mudou. Suas ambições, frustrações e o desejo de vencer, continuam o mesmo.

Por outro lado, os consumidores não moram próximos de todos os bens ou produtos que eles precisam. Essa integração trouxe maior competição para o mercado, e as empresas por sua vez, se viram obrigadas a adequarem seus custos tornando às competitivas. Ballou (2007, p.19) desta que “os custos logísticos são um fator-chave para estimular o comercio”. Seja no comercio entre diversos blocos econômicos ou até mesmo entre as diferentes regiões de uma mesma nação. Assim, é fundamental que o Governo conduza mais e melhores investimentos em infraestrutura de transporte para melhorar a disponibilidade de modais e permitir que as empresas alcancem maior eficiência, evitando pressão de custos.

          Nossos portos não suportam nossas exportações, e a má conservação das principais vias, influencia no tempo de entrega dos produtos. No transporte, usa-se muito o modal rodoviário, esses fatores são considerados importantes e contribui no resultado da economia brasileira. Uma infraestrutura adequada potencializa ganhos  no sistema produtivo. Sua ausência provoca gargalos logísticos.

Por outro lado, a falta de infra-estrutura nos transportes influencia diretamente nos custos logísticos. A incapacidade de um sistema de transporte tem um custo alto ser pago. Esse custo equivale ao atraso causado por ele no desenvolvimento de uma nação. É importante destacar “quando não existe um bom sistema de transporte, a extensão do mercado fica limitada.” (BALLOU, 2007, p.114).

De acordo com o Instituto Ilos o Brasil continua sendo carente em termos de infraestrutura, podemos observar essas informações na figura 1.

O desbalanceamento da matriz de transportes de carga impacta não apenas na economia do Brasil como um todo, mas também leva ao aumento dos gastos das empresas com logística. Reconhece que os custos variam segundo o setor da economia, sendo mais significativos justamente em segmentos que movimentam grandes volumes a longas distâncias e acabam diretamente afetados pelo desequilíbrio da matriz brasileira.

De acordo com uma publicação divulgada pelo Instituto Ilos em 8/11/2017, o Brasil ocupa a posição 103 no quesito qualidade da infraestrutura rodoviária, no ranking organizado pelo Fórum Econômico Mundial, que reúne 137 países analisados. Na pesquisa, o Brasil recebeu nota 3,1, em uma escala que varia entre 1 (estrutura extremamente subdesenvolvida) e 7 (estrutura extensa e eficiente), enquanto o Chile lidera na América do Sul, com nota 5,2 (24ª posição no ranking geral). A matriz inadequada e a má qualidade das rodovias brasileiras também explicam, em parte, a má colocação do Brasil no ranking de Comércio Internacional organizado pelo Banco Mundial. Conforme descreve Ballou (2007, p.113). medida com que os “serviços de transporte mais baratos vão-se disponibilizando, a estrutura econômica começa a assemelhar-se a de uma economia desenvolvida”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *